Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Uma aventura na farmácia

Precisava aviar o antibiótico para o Salvador. Não me pareceu viável perder tempo a ir deixa-los a casa para depois ir à farmácia. Analisei alternativas e resolvi experimentar uma farmácia em que os medicamentos são avisados em drive in. Claro que como sou um pessoa cheia de sorte a dita farmácia estava fechada. Não me restou outra hipótese se não ir à normal. 

Entrei com os rapazes e disse-lhe que fossem brincar no espaço para as crianças. Não tínhamos ninguém à nossa frente pelo que a nossa estadia na farmácia será breve. Eis que o Santiago grita:

- Quero fazer xixi e cocó!

Ouvem-se gargalhadas na farmácia e eu procuro algo que indique uma casa de banho. Como não vi nada digo ao rapaz para aguentar. Olho desesperada para os nove posto de atendimento para ver qual fica disponível para mim e o Santiago grita:

- Estou a fazer! Não aguento!

O nosso numero aparece no ecrã corro para o posto atiro as receitas para o farmacêutico enquanto lhe pergunto onde é a casa de banho. Ele indica-me o caminho com um ar surpreso, eu digo-lhe que pode preparar o antibiótico enquanto corro com os dois rapazes para a casa de banho. Chegada ao cubículo tento fechar a porta com os três lá dentro. Quando fecho a porta já o Santiago está sentado na sanita, o Salvador baixa a calça e diz que está aflito para fazer xixi. O Santiago continua na sanita e eu peço para que o Salvador aguentar. Minutos depois conseguimos sair da casa de banho, os pequenos apressam-se para a casinha de brincar e eu dirijo-me ao posto de atendimento que está vazio. Penso que quando o farmacêutico voltar vou estar à espera como uma pessoa normal quando o Santiago grita novamente:

- Mais cocó.- enquanto corre para a casa de banho

A mim só me resta pegar no Salvador e correr atrás. No caminho para a casa de banho passo pelo farmacêutico que se dirige ao local de trabalho já com o nosso antibiótico preparado. Digo adeus à minha hipótese de parecer uma pessoa normal. Nova ginástica na pequena casa de banho, regresso à frente da farmácia a tempo e dar os dados e fazer o pagamento. Agradeço e saiu envergonhada ciente que tão depressa não volto ao local do crime.

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.