Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Último dia em Roma

No último dia acordamos cedo e rumamos ao castelo de sant'Angelo após o pequeno almoço. A entrada no castelo até às 10h apenas custa 5€ enquanto no resto do dia custa 14€.

IMG_20190407_102541.jpg

IMG_20190407_102721.jpgO castelo é interessante mas achamos que 14€ é demasiado. Ficamos satisfeitos por termos conseguido entrar com a tarifa reduzida.

De seguida fomos ver o Papa. 

IMG_20190503_072952.jpg

O resto do dia foi passado a passear pela cidade. Fomos à Vila Borghese, escadaria Espanhola, a boca da verdade, o  Circo Massimo, a pirâmide...

IMG_20190503_073007.jpg

IMG_20190503_073033.jpg

IMG_20190503_073052.jpg

IMG_20190503_073106.jpg

IMG_20190503_073123.jpg

IMG_20190503_073138.jpg

IMG_20190503_073206.jpg

Neste dia andamos 25km. Nem quero acreditar 😁

Fiquei surpreendida

- Leonardo o teu aniversário está mesmo a chegar.

- Pois está.

- Nesse dia queres ir à escola e levas um bolo para festejar o teu aniversário, ou querer faltar à escola e passar o dia com a mãe? Posso tirar um dia de férias e vamos passear os dois. 

Os olhos dele iluminaram-se de felicidade e disse:

- Quero passar o dia só contigo.

Sinceramente nunca pensei que quisesse falar à escola, certinho como é. 

Estou a criar uns galdérios

- Mãe.

- Chiou, dorme mais um pouco.- digo enquanto me deito ao pé dele

- Mas mãe já é um bom dia.

- Não ainda não. Dorme.

- Sim mãe. Olha já é um bom dia, a noite já foi embora.

- Está bem. Vamos levantar.

- Hoje à escola?

- Não hoje é domingo não à escola.

- Então onde vamos? Vamos passear?

- Hoje não.

- Não vamos à festa?

- Não. Hoje vamos ficar em casa a descansar que estamos muito cansados.

- Eu quero ir passear. Dar uma volta.

 

Estes pequenos só querem rua

Passeios em família

Temos aproveitado estes dias para passear com os rapazes. Lembrei-me de ter lido no blog da Sofia sobre o parque  Marechal Carmona e pareceu-me um bom sitio para conhecer. O parque é de facto muito bom, os miúdos adoraram. O Leonardo só dizia que era o melhor dia de sempre porque estava a ver pavões que é um dos seus animais preferidos. 

PE_20170412_081528.png

PE_20170412_081514.png

PE_20170412_081456.png

PE_20170412_081443.png

PE_20170412_081422.png

Depois de se cansarem de tentarem apanhar os animais fomos para a zona do parque infantil onde passamos mais um bom bocado.

PE_20170412_081406.png

 

PE_20170412_081343.png

Cansados da brincadeira, fomos visitar a boca do inferno e refrescamos-nos com uns gelados.PE_20170412_081325.png

PE_20170412_081217.png

PE_20170412_081157.png

Passamos um excelente dia, a concelho vivamente o local para um dia em família.Dentro do parque existem ainda um grande parque de merendas bem protegido do sol pela copa das árvores o que possibilita um belo piquenique. A sombra das árvores torna a temperatura muito agradável mesmo num dia quente como os que temos tido. Já conhecem a zona? 

A nossa relação com carrinhos de bebés

Sempre tive uma péssima relação com carrinhos. Os passeios são demasiado pequenos para eles e estão muitas vezes obstruídos. Os elevadores são estreitos e vêm sempre cheios. As estradas são más e os acesso para carrinhos inexistentes. Motivos que sempre me fizeram perder a paciência. Cada vez que pensava em sair perdia a vontade só de pensar em ter que empurrar aquele mono, principalmente o dos gémeos que era uma monstruosidade.  

O Guilherme começou a andar com cerca de 14 meses e depressa deixamos de utilizar o carro. O Leonardo andou por volta dos 9 meses pelo que antes do ano já não havia carrinho para ninguém. Com os gémeos foi um pouco diferente, o carrinho foi utilizado um pouco mais tempo porque controlar duas crianças é mais difícil.

Em Junho, quando fomos de férias o marido informou-me que não tínhamos espaço para o carrinho e eu concordei que não havia necessidade de levar a bagageira no tejadilho apenas por causa deste item. Partimos então na aventura de fazer uma semana de férias apenas os dois com os miúdos todos, num pais estrangeiro e sem carrinho para os pequenos. A verdade é que tudo correu muito melhor do que pensava. Os pequenos adoraram a liberdade mas comportaram-se sempre muito bem. Em nenhum dia me arrependi de não termos levado o dito, é certo que por vezes pediam colo mas com a brincadeira conseguíamos contornar a situação. Voltaram das férias mais desenvolvidos e com uma locomoção muito melhor.

Quando voltamos o carrinho ficou na garagem por mais algum tempo.  Eu tinha receio das consultas a que vou muitas vezes sozinha com eles e achava que ainda o ia usar. Os meses foram passando e o artigo ficou sempre no mesmo sitio. Fui a vários sítios com os dois e até com os quatro. Fui às urgências com os dois ao mesmo tempo. Fui às compras, ao parque, à escola… e nunca precisei de os controlar. Finalmente o mês passado senti que estava na altura de nos desfazermos do mesmo. Foi entregue a outra mãe gemelar que necessitava de um com urgência.

Neste momento posso dizer que sinto muito mais vontade de sair com os rapazes só de saber que não vou andar a empurrar um camião.