Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Salvador e os verdes

- Mãe hoje o comer foi peixe com batatas. O prato do meu amigo S tinha brócolos. O do meu amigo P também e o meu não. - disparou assim que me viu à porta da sala.

- A sério filho! É isso é bom ou mau?

- Mau claro. Tu não sabes que eu gosto muito de brócolos! Podes fazer para o jantar? 

Deve ser a única criança que fica chateada por não comer verduras😂

Quem nunca?

Quem nunca saltou todas as linhas de um passeio? Quem nunca jogou ao jogo em que não se pode pisar as faixas pretas na passadeira? Ou fez jogos em que apenas podiam caminhar pelas pedras negras da calçada portuguesa?

É uma das memórias que tenho da minha infância. Estes jogos que era grátis e nós ocupavam o tempo.

Ultimamente tenho visto os gémeos a fazerem o mesmo e isso coloca-me um sorriso no rosto. Ainda ontem saltavam de lista em lista na passadeira. Quando chegaram ao fim um disse para o outro:

- Viste mano? Eu fiz parkou!

Santa inocência 😁

Vai falar com o pai

- Mãe dói-me está perna! - disse o Salvador apontando para a perna direita

- Isso é porque ela está cansada. Está na hora de ir dormir.

- Não mãe não é isso. Acho que tive muito tempo sentado em cima dela e agora tenho um osso fora do lugar. Mexe aqui.

- Estou a mexer.

- Não sentes esse osso mais perto da pele?

- Sim tens aqui um osso.

- Estás a ver. Antes não estava aí! Como é que vai voltar ao mesmo sítio.

- Filho sabes de uma coisa?

- Diz mãe.

- O teu pai é que percebe dessas coisas. Vai lá a baixo e fala com ele.

- Deixa estar acho que já vai passar.

😂

Para quem me chamou velha

Nestas férias na aldeia passei por uma situação bem insólita. Estava a dar o pequeno almoço aos rapazes, às nove da manhã, quando bateram à porta. Abri prontamente e saí.

- Bom dia.

- Bom dia. Será que podia chamar o seu avô?

- O meu avô? - questionei pensando se a senhora não saberia que o meu avô já tinha falecido à quase vinte anos

- Sim acho que é o teu avô.

- Mas com quem quer falar? - certamente seria engano

- Com o teu avô Fernando.

- Com o meu pai Fernando?

- Não com o teu pai não. Com o teu avô... Mas tu és a filha? 

- Sim. 

- Desculpa Catarina que não te estava a reconhecer. Vinha ver se o teu pai quer pagar a anuidade da água. 

Não se atreva a dizer que a sra estava a chamar velho ao meu pai. Claro que ela me achou uma miúda. Ou pelo menos assim quero acreditar. Ainda estou em negação pelo facto do meu filho me ter dito que estava a diminuir como os velhotes😒

 

Merecia uma tareia

- Mãe porque é que o Guilherme é tão grande como tu e não pode conduzir o carro?

- Salvador porque o Guilherme ainda não tem idade...

- Mano o Guilherme ainda é muito novo. Só está da altura da mãe porque ela está a ficar mais pequena. As pessoas quando ficam velhas começam a ficar mais pequenas e é isso que está a acontecer à mãe.

Eu fiquei sem saber se devia rir ou chorar😖

Só me fazem passar vergonha

- Então vizinha está melhor?

- Cá vou andando. - respondi

- Entrem aqui para o quintal para falarmos melhor.

- Claro que sim. Então é você está melhor?

- Na minha idade já sabe não temos grandes melhoras.

- Vizinha.

- Diz rapaz.

- Tens que limpar estes brinquedos porque estão muito sujos!

Lá se vai a boa relação entre vizinhos 🙄

A conversa continua

Encostei-me ao carrinho de compras e senti um choque na barriga. Pensei que tinha sentido uma descarga de energia estática até que vi uma vespa. Já em casa o Salvador quis ver a minha picada.

- Que barriguinha mais linda. É tão fofinha! Ó mãe quando é que ela vai ficar grande?

- Grande?

- Sim quando é que ela vai ficar muito grande e depois saí um bebé.

- Já disse que tens que pedir ao pai.

O marido não está a gostar muito da brincadeira 🤣

Aprender a esperar

- Mãe quero água!

- Santiago tens que esperar um minuto que tenho as mãos sujas.

- Mas eu quero água.

- Já dou.

- QUERO ÁGUA! Estou cheio de sede.

- Santiago tens que aprender a esperar.

... 

- Meninos vamos embora.

- Já vamos.

- Não é já vamos. Estamos a ficar atrasados. Vamos embora.

- Calma estamos a ir.

- Toca a despachar! Mexam essas pernas.

- Mãe sabes uma coisa?

- Diz Santiago?

- Tens de aprender a esperar. 

Depois do cheiro terrível

Pouco depois de apanhar o Santiago a tentar colocar água no ouvido deparei-me com outra situação. Estava a sair da cozinha e vi o rapaz a colocar uma almofada grande e quadrada no cimo das escadas. Parei atenta para entender o plano dele. Com paciência ajeitou a almofada até ficar na posição que queria e preparou-se para se sentar em cima dela.

- Santiago! Não estás a pensar escorregar pelas escadas a baixo em cima da almofada? Pois não?

- Sim. É como se fosse um trenó. - afirmou de sorriso no rosto

- Nem penses que ainda te mágoas. Vai para cima. 

Lá foi ele triste a arrastar a almofada quase maior que ele. Mãe sofre!!! 

 

Um cheiro terrível

No fim de semana fiquei um pouco sozinho com os rapazes. Estava eu relaxada a ler quando ouvi o som de água a correr. Notei que o som nunca mais parava pelo que fui verificar o que se passava. Cheguei à casa de banho e encontro o Santiago debruçado numa posição esquisita sobre o bidé.

- Santiago o que estás a fazer?

Olhou para mim com a cara toda molhada. 

- Estou a tentar lavar o meu ouvido!

- Lavar o ouvido?

- Eu coloquei o dedo lá dentro e depois cheirei. Tem um cheiro terrível.- disse enquanto fazia a maior careta. 

As coisas que eles se lembram🤣