Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Este não sou eu!

Dei banho aos gémeos. Tirei o Salvador da banheira, sequei a água e dei-lhe uma ajuda a vestir. Depois voltei as minhas atenções para o Santiago e preparei-me para repetir as tarefas. Entretanto oiço o Salvador:

- Este não sou eu.

- Ainda não. Não sou eu.

Curiosa fui ver o que estava a fazer. Encontrei o rapaz de frente ao espelho.

- Não sou eu.

- Que estás a fazer amor?

- Olha o meu cabelo. Não sou eu com o cabelo assim.

Percebi então que se referia ao cabelo húmido e despenteado que ainda não tínhamos penteado. Fiquei a vê-lo ajeitar o cabelo até que acabou por afirmar. 

- Agora sou eu. O meu cabelo é assim espalmado.

 

Nem tudo é culpa da mãe

O Leonardo estava a colocar a mochila às costas para ir para a escola.

- Mãe o que é isto que está espetado na minha mochila?

- Parece uma coisa metálica mas não sei o que é. Tens que abrir a mochila para ver o que tens aí dentro.

Ele colocou a mochila no chão e procurou o objecto que estava a furar a mochila.

- Mãe porque é que colocas-te um garfo na minha mochila?

- Um garfo? 

- Sim é um garfo que aqui está dentro, olha.

- Um garfo? Eu não coloquei nenhum garfo na tua mochila, aliás nunca vi esse garfo na vida. Não é nosso.

- Se não foste tu quem foi?

- Eu não mexo na tua mochila, tu é que colocas e tiras as coisas. Já te disse que esse garfo não é nosso. Já o tinhas visto cá em casa?

- Não, mas como é que está na minha mochila?

- Deve ser de algum dos teus colegas. Leva para a escola e pergunta se é de alguém.

Assim fez mas ninguém se acusou. Agora tenho um garfo do bombeiro Sam no carro à espera que apareça o dono.  Só nos acontecem situações estranhas.

Um verdadeiro blog Sapo

Lembram-se de vós ter contado sobre o sapo que vimos no nosso quintal à uns tempos atrás? Quando contava essa história ao nossos amigos e familiares ficava sempre com a impressão que ele pensavam que eu estava a inventar. 

Acontece que ontem estávamos a acabar de jantar quando o marido me disse:

- Está ali um sapo está ali a olhar para nós. 

Virei-me e lá estava ele a olhar, através do vidro, para a nossa cozinha. Corri a registar o momento para ter provas que tenho um sapo de estimação.

PE_20180315_065506.png

 Na verdade tenho duvidas se é o mesmo ou não. O que vimos da outra vez era mais pequeno mas como já passaram uns meses pode ter crescido. A alternativa é que afinal sejam mais do que um.

Depois de registado o momento chamei os pequenos para uma pequena aula de biologia e foi a loucura. Agradeci o facto de existir um vidro entre o animal e eles, caso contrário não sei o que teria acontecido. Estavam de tal forma entusiasmados que mais parecia uma noite de Natal. O sapo acabou por se cansa dos mirones, virou as costas e foi embora. Eles fizeram uma festa porque viram  como um sapo verdadeiro se movimentava.

Agora digam lá que isto não é vestir a camisola? Somos ou não somos um verdadeiro blog Sapo?

Sempre a enganar a mãe

- Mãe amanhã comi pão com salsicha! - diz o Salvador

- Queres comer pão com salsicha?

- Não eu comi amanhã no café.

- Comeste ontem? Quem deu?

- O avô!

- Eu bebi um sumo! - exclama o Santiago

- O avô deu um pão com salsicha e sumo aos meninos?

- Eu bebi sumo e leite com chocolate. - afirma o Santiago

 Achei aquela história muito estranha. Assim que cheguei a casa perguntei ao marido:

-  O que é que os rapazes comeram no café?

 - Um chupa!

- Só isso?

- Sim. Porquê?

- Estes pequenos têm uma imaginação...

Já me devia ter habituado...

- Mãe cheira tão bem. O comer está quase pronto?

-Sim Guilherme, já está pronto. Faz-me um favor e vai chamar os teus irmãos enquanto eu coloco o comer nos pratos.

- LEONARDO, SALVADOR, SANTIAGO VENHAM COMER!

-Guilherme se fosse para gritar tinha gritado eu...

 

Noutro dia.

- Mãe posso provar um bocadinho?

- Santiago o comer já está pronto por isso vais já provar. Vai por favor lá acima chamar os manos.

- GUILHERME, NARDO, SALVADOR COMER!

- Santiago não grites filho.

 

- Mãe a minha barriga tem muita fome!

- O jantar já está pronto. Só temos que chamar os manos para virem comer.

- Eu faço. NARDO, GUILHERME, SANTIAGO HORA DE COMER!

 

- Amor o comer está pronto. Podes chamar os teus irmãos?

- MANOS VENHAM COMER!