Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Pensavam que andavamos melhor?

Mas a verdade é que não andamos. Um dia deste o marido chegou a casa e queixou-se que o Tupperware do almoço só tinha massa. Eu olhei para ele e mencionei que tinha sido ele a fechar a caixa e a arrumar no frigorifico. Eu pensei que ele ia colocar as almôndegas de manhã e ele pensou que eu já tinha colocado. Chegou ao trabalho e comeu esparguete com esparguete.

Uns dias depois sai do trabalho à pressa e corri a meter combustível. O carro já tinha feito 50km na reserva e ameaçava parar a qualquer momento. Erraram se pensam que fiquei sem combustível porque consegui chegar à bomba. Atestei o carro e puxei da carteira para pagar. Abro a carteira e percebo que não tenho o multibanco. Telefonei ao marido, em absoluto pânico, para saber onde tinha ele colocado o meu cartão depois de o ter utilizado para ir à farmácia. Ele respondeu-me que o tinha posto dentro do saco dos medicamentos e eu nunca o tirei. A minha cabeça estava a mil à hora a pensar como é que eu ia pagar. Não estamos a falar de umas compras que podemos dizer que não levamos e vir embora. O combustível já estava dentro do carro, não havia como voltar a trás. O marido já dizia que vinha ter comigo, eu pensava em ligar a alguma colega de trabalho para que me fosse pagar a conta até que o marido me pergunta se não era naquela bomba que aceitavam os cartões de refeição. Acabei por desligar e resolvi tentar a sorte. Aproximei-me da caixa de pagamento, mostrei o cartão e perguntei, a medo, se podia pagar com aquele. O senhor disse-me que sim e eu fiquei feliz mas depois surgiu outra duvida. Será que o cartão ainda tem dinheiro suficiente? Felizmente tinha saldo suficiente e lá consegui deixar a bomba com o carro atestado sem passar vergonha.

Hoje foi a vez do banco on-line. Agora que penso nisso eu e os meios de pagamento não nos temos dado nada bem. Ora hoje fui ao banco online para fazer uns pagamentos. Para finalizar o processo o banco pede-nos sempre uns números do cartão matriz. Li as coordenadas, coloquei os números pedidos e recebi uma mensagem a dizer que estavam errados. Tentei novamente, coloquei os números solicitados e mais uma vez errado. Tentei mais uma ou duas vezes até que recebi uma mensagem que me dizia que o meu acesso está cancelado. Tenho a certeza que coloquei tudo certo pelo que não sei o que se passou. Já vi a verifiquei e o cartão ainda testava válido. A verdade é que agora nem consigo aceder ao site. Como se não tivesse já imensas coisas para fazer ainda vou ter que passar num balcão para resolvo o assunto.

P.S.: Na segunda feira o marido o esqueceu-se de levar os chinelos do Guilherme para a piscina. Afinal não sou só eu. Claro que o Guilherme estava todo indignado porque teve que tomar banho de meias, outra vez....

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.