Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Festa de aniversário

Ontem fizemos a festa de anos do Guilherme, como já vai sendo habitual ele escolheu um sitio para fazer a festa, desta vez foi no Rodinhas e nós só pagamos. Mesmo que quisesse fazer de outra forma não me resta tempo para organizar estas coisas. Já foi difícil ir actualizando a lista de crianças que iam, tanto que acabei por dar os números à empresa sem o Guilherme e o Leonardo. Só ontem quando estavam a entrar é que me apercebi que tinha duas crianças a mais do que tinha referido mas ao mesmo tempo não tinha nenhuma a mais do que as que estavam na lista.

Então fez-se uma luz nesta cabeça cansada.

Seguiram-se duas horas de muita brincadeira, correrias, pulos. Ora saltavam no insuflável ou se atiravam na piscina de bolas. Ora trepavam pelo Playground acima ora jogavam à bola.

 

Entretanto seguiu-se uma breve aula com regras e sinais de transito e de seguida  a pratica da condução. Nós ficamos no local com os mais pequenos e alguns pais amigos. O fotografo do estabelecimento veio falar comigo e disse-me que queria tirar uma foto da família com os pais o Guilherme e o presumível irmão que eu tinha ao colo. Eu respondi que poderíamos tentar mas com tantos era um pouco difícil. Segue-se a tão esperada pergunta:então quantos são? 2 pais e 4 filhos. E o comentário só para não variar: que pais cheios de coragem. Quando chegou a hora lá tentamos e até ficamos os 6 relativamente bem.

Chegou a hora de condução ficamos estupefactos com o que vimos. Se alguns já demonstram muita habilidade  e destreza no manuseamento dos karts bem como na interpretação dos sinais já os outros....Nem vos digo nem vos conto. Vimos de tudo, só lhes interessava andar se iam em sentido contrário não importa, aliás se até os adultos andam em contramão nas auto-estradas porque haveriam os pequenos de  respeitar. Cortavam as curvas pela via de sentido contrário, não paravam nos STOPs, tão pouco paravam quando os instrutores lhes atravessavam a frente. Até comentamos que os instrutores deviam ficar com as pernas cheias de negras de tantas cacetadas dos karts.

 

Finalmente lá acabou a lição e saíram todos ilesos, menos os instrutores. Foram lavar as mãos e vieram lanchar. Entraram na sala de lanche e não sei precisar qual dos rapazes vinha mais transpirado, traziam os cabelos encharcados e as t-shirts coladas ao corpo. Curiosamente as meninas até vinham muito compostas.

Devoraram o que estava na mesa, um lanche muito equilibrado com pão, bolinhos e bolachinhas, batatas fritas, pipocas, gelatinas e sumo. Durante cerca de 15 minutos não se ouvia um som sem ser o sorver sumo ou mastigar. O Leonardo agarrou-se às batatas fritas e devorou os dois recipientes,que existiam em cima da mesa, praticamente sozinho. De seguida cantaram os parabéns, o Leonardo apagou a vela ao irmão, acendemos novamente a vela e recomeçamos a cantar a parte final dos parabéns mas o Guilherme soprou imediatamente as velas antes que o irmão se antecipasse. Os pais que entretanto tinham chegado começaram a abandonar o local com as suas crianças.

 

Mais tarde, á no carro, o Leonardo mencionou que tinha sido o melhor dia de todos antes de adormecer. O Guilherme foi o caminho todo a dizer que gostava muito de nós, graxista. Não é que ele não seja uma criança carinhosa, até nos diz muitas vezes que nos adora mas num percurso de 15 minutos deve ter repetido o mesmo umas 20 vezes. Foi um dia conturbado e cansativo mas depois de ver a felicidade daquelas crianças todas ficamos com um sentimento de realização. Afinal a felicidade dos nossos filhos é a coisa mais importante do mundo.

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.