Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Depois de lerem isto vão achar que tiveram o melhor fim de semana do mundo.

Para todos aqueles que se queixam do fim de semana digo-vos que o nosso foi pior. 

Depois de três semanas de doenças e muitas noites mal dormidas. Depois de uma quinta e sexta para esquecer da qual resultou uma dor de braços e um coxear de tanto colo. Depois de muitas ramelas, ranho e medicamentos pensamos que o único caminho era a recuperação. O marido ofereceu-se ficar com o Santiago de sexta para sábado para eu conseguir descansar e eu imaginei uma cama quente e convidativa. Em vez disso tive uma noite com a cabeça enfiada na sanita. Eu vomitava na casa de banho e o Santiago na sala.

Estivemos os dois nisto até às quatro da manhã. Por volta das oito acordei com o Salvador todo molhado. Desmanchei a cama e coloquei-os lençóis em fila de espera para a máquina de lavar. Aqueci leite para o Salvador que dizia ter fome, deixei-o a beber o leite no sofá e fui colocar mais roupa a lavar. O Guilherme chamou-me aos gritos que o irmão estava a vomitar tudo. Mais uma pilha de roupa para lavar. O Leonardo queixava-se da barriga e acabou por vomitar à tarde. O marido dizia estar mal disposto e quase não comeu nada. Aliás quase ninguém comeu nada, fiz um pouco de canja que deu para o almoço e jantar de sábado e ainda sobrou.

Domingo amanhecemos um pouco melhor. Estava tudo mais bem disposto e resolvemos sair um pouco, até porque, desde quarta que estava fechada com os gémeos. Fomos visitar a família e passamos um bom bocado. Comentamos que a coisa já tinha passado e que o Guilherme se tinha safado. Saímos cedo porque ainda nos sentíamos cansados. A meio da viagem olhei para trás e percebi que o Guilherme estava a vomitar dentro do carro. Parámos assim que possível para ver o estrago e só vos posso dizer que ficamos sem palavras. Tentamos remediar o estrago com lenços e toalhitas mas sem grande sucesso. Fizemos o caminho a até casa fechados no carro com aquele cheiro agoniante, sem poder abrir as janelas por causa da chuva. O marido saiu de casa munido-se de água, detergente e um pano e foi tentar salvar os estofos. Deixamos o carro na garagem de vidros abertos para secar e a ver se o cheiro passa.

Agora digam lá que depois de lerem isto o vosso fim de semana não ficou subitamente muito melhor?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.