Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Aniversário da mãe

- Mãe, amanhã é o teu aniversário. Não é?

- É sim Santiago.

- Boa! Vamos ter bolo!

- Não vamos não. 

- Porquê mãe? 

- Eu não vou fazer o meu próprio bolo. 

-Então faz o pai! - exclamou o Salvador 

- Mas o pai não é espe...especha...aí como é que se diz? 

- Especialista? - questionei 

- Sim!!!

- Eu também não sou.

- És sim fazes bolos tão bons!!!! 

- E bonitos! Bolo de cenoura, de iogurte, de chocolate, são tantos e tão bons! 

Bem parece que vou ter que fazer um bolo. Estes rapazes sabem bem como me dar a volta 😂

 

Histórias pela manhã

Ontem voltamos ao horário normal, o que significa que chegamos cedo à escola dos gémeos, é necessário ocupar o tempo de espera. 

Gosto de variar nas actividades para este pequeno bloco de tempo. Ontem os gémeos treinaram a leitura. Hoje o Guilherme contou uma história. Amanhã devemos passear no jardim. Para os dias seguintes ainda não programei nada, mas uma certeza tenho. Não interessa o programa mas sim o facto de o fazermos em conjunto. 

De volta à escola

Hoje recuperamos mais um pouco de normalidade nas nossas vidas. Mais crianças voltam à escola, muitos pais regressam ao trabalho presencial. Reabrem alguns estabelecimentos, com condicionantes claro está.

Eu lido com um grande misto de emoções. Se por um lado estou feliz por ver os meus filhos contentes e ansiosos para reencontrar amigos e professores. Por outro lado peço para que as pessoas tenham juízo e não abusem. Espero que não deitem tudo a perder com comportamentos irresponsáveis.

A verdade é que não tenho muita fé. Há medida que o tempo passa vejo as pessoas mais fartas da falta de liberdade. Isso faz com que arrisquem mais as suas vidas e as dos outros.

Não facilitem para que todos possamos recuperar em breve a nossa total liberdade. Não queiram viver sabendo que a perda de um ente querido resultou de um facilitismo. 

Pág. 2/2