Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Onze anos

Faz hoje onze anos que vieste mudar a minha vida. Quando fiquei grávida de ti estava algo fragilizada. Soube que iria ser mãe antes de qualquer exame. Tivemos percalços na gravidez mas sempre acreditei que te iria segurar nos braços. Dizia que irias nascer no dia 10 e foi exactamente aí que vieste ao mundo. Não imaginas como fiquei feliz. Estava completamente apaixonada por ti. Nos primeiros dias mal dormi, preferia aproveitar o tempo para te contemplar com olhar enamorado. Dormias ao meu colo e eu não te contrariava minimamente.

Hoje em dia não te posso agarrar ao colo mas o meu amor por ti não diminui nem um pouco. Pelo contrário, cresce a cada dia que passa. Olho para ti e vejo um jovem extraordinário. Não é conversa de mãe ingénua. Sei bem os teus defeitos e as virtudes são muito superiores. Vou estar sempre aqui a olhar para ti com orgulho, eu e toda a família, claro. 

IMG_20201210_080250.jpg

 

Uma prenda para mim

No sábado tive fora todo o dia a fazer demonstrações. Quando cheguei a casa recebi imensos beijos e abraços, mais parecia que tinha estado meses fora em vez de horas. 

Logo, logo o Santiago disse que tinha feito uma prenda para mim. 

Estendeu uma folha toda escrita e eu não identifiquei o que era. Até que ele apontou o livro e explicou.

- Copiei um pouco do livro para ti. Imitei a letra e tudo.

IMG_20201207_085129.jpg

IMG_20201207_085147.jpg

IMG_20201207_085210.jpg

- As setas é porque eu copiei mal. Tens que seguir as setas para ler bem.

 

Afinal deve ser da altura do ano

Esta semana está a ser infernal. Tentar fazer em três dias o que normalmente se faz em cinco significa correria extrema.

Ontem uma das correrias foi ao supermercado, enfrentei um batalhão de pessoas que enchem carrinhos de comoras até mais não. Acabei por comprar tudo o que queria e passei rapidamente em casa a largar os sacos. Mais tarde arrumei as coisas e avistei um doce que tinha comprado para enviar numa troca de Natal. 

Tenho a certeza que comprei o doce assim como tenho a certeza que o arrumei... Só não sei onde. Já corri todos os armários, o frigorífico, já verifiquei dentro dos sacos reutilizáveis vazios. 

Acabei por desistir, não faço a mínima ideia onde mais possa procurar.  Agora surgiu uma dúvida na minha cabeça : será que o comi e não me lembro? 

😂Esta época do ano dá cabo de mim. Talvez seja a falta do☀️

 

Tempo com a mãe

No sábado saí de casa com o Salvador. A última vez que tirou sangue estava com anemia. Voltamos agora a repetir a análise para perceber se já está tudo normalizado.

Saímos de casa e procuramos algum laboratório aberto. Dos quatro que existem nas imediações só um estava a funcionar. Estava vazio e entramos logo. O rapaz não soltou nem um aí e foi muito elogiado.

A caminho de casa paramos no supermercado para comprar meia dúzia de coisas. 

Mais tarde, já em casa, o rapaz agarrou-se a mim e disse:

- Adorei a nossa manhã mãe.

- A sério? Mas foste tirar sangue.

- Adorei estar contigo, falar contigo, ir às compras contigo.

Fiquei a pensar que embora tivesse planos de passar algum tempo com cada um dos meus filhos individualmente não os cumpri. A situação actual, a necessidade de permanecer em casa, não deixa muito espaço para que isto aconteça. Esperamos por melhores dias onde talvez consiga levar a cabo os planos por cumprir. 

Pág. 2/2