Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Crianças e as fraldas limpas

Os meus filhos sempre tiveram um problema com as fraldas limpas. Por norma os intestinos costumam funcionar sempre à mesma hora pelo que tentamos aguentar a fralda a ver se eles fazem o serviço. Aguentamos, aguentamos até que percebemos que a fralda tem demasiado chichi. Desistimos da ideia de aguardar com receio que a fralda transborde e convencemos-nos que os rapazes não devem ter vontade. Mudamos a fralda e cinco minutos depois passa um rapaz a deixar um rasto fedorento.

Desde que nasceram que lhes digo para não sujarem as fraldas limpas mas a coisa parece funcionar ao contrário. Já sei que o não para eles significa sim. Ou talvez sintam especial prazer em obrigar-nos a outra troca de fralda.

Pensava que era um problema dos meus rapazes mas em conversa com colegas e conhecidas todas se queixam do mesmo. Será que é assim com todas as crianças?

O trauma das luzes

Ontem estava a passar corredor e vi luz a passar debaixo da porta da casa de banho. Pensei que, como de costume, alguém tinha deixado a luz acesa. Preparei-me para carregar no interruptor enquanto lancei uma pergunta para o ar:

- Está alguém na casa de banho?

- Mãe não apagues a luz! - gritou o Leonardo mesmo a tempo - Ainda agora fiquei às escuras porque o Guilherme me apagou a luz não apagues agora tu também.

A verdade é que quando apagamos a luz está sempre alguém e quando a deixamos ficar acesa não está ninguém.