Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Desanimo

Este é o sentimento que se apoderou de mim e espantou a euforia pré férias.

O marido acordou-me às 4:30 da manhã para me informar que a carrinha dele estava avariada. Inicialmente nem percebi o que me estava a dizer. Por momentos pensei que fosse mais um dos exageros dele. Por norma, ouve ruídos estranhos e passa a vida a dizer que algo não está bem apesar de nunca termos tido problemas. Pensei então que seria algo do género mas depressa percebi que p caso era sério. O carro simplesmente não pega, aliás bem dá sinal de arranque. Presumimos que possa ser o motor de arranque mas só o mecânico pode confirmar. O marido foi de mota para o trabalho e eu já não consegui dormir. Ainda tentei mas não conseguia desligar o meu cérebro. Fiquei a matutar soluções para a embrulhada em que ficamos.

Primeiro tenho que ligar para a oficina do seguro para informar que afinal não vou lá deixar hoje a minha carrinha para reparar a batida. Tínhamos combinado tudo de forma a esta ser reparada  durante a próxima semana evitaríamos assim ter que usar um carro de substituição.

Depois tenho que tentar ligar para uma companhia de reboques a tentar perceber como é possível tirar o carro da garagem sendo que o reboque não entra na nossa garagem e não me parece muito viável empurrar aquela carrinha pesada pela rampa da garagem que têm uma inclinação bem acentuada.

O marido tem que passar no mecânico a ver se podemos lá deixar hoje a carrinha. Se sim tem que accionar o reboque do seguro ou então levar o mecânico ato a carrinha a ver se consegue pelo menos pô-la a funcionar até à oficina.

O marido têm também que ver se as barras de tejadilho que comprou para o carro dele servem no meu. Caso contrário teremos que ver se conseguimos comprar umas barras apropriadas ao meu carro. Se não conseguirmos resta-nos a opção de nos espremermos-nos todos dentro do carro. Usamos o espaço do sétimo lugar para alguma bagagem e a restante vai repartida aos nosso pés.

Para além disso tive que pensar numa solução para o marido conseguir ir buscar os miúdos à escola que hoje termina ás 13H. Deixei os gémeos, pedi um favor à auxiliar da escola que aceitou ficar com eles antes do portão sair e fui deixar o carro ao marido. Apanhei o comboio para trabalhar e vou aproveitando para escrever este post como forma de libertar o stress. O marido está de mau humor, não o condeno, e já fala em abandonar a ideia de férias. Eu, por um lado, também desanimei mas, por outro, custa-me perder o dinheiro que já dei.

O meu homem tem medo o meu carro não aguente a viagem mas até ver nunca me deixou ficar mal ao contrário da dele que ele têm num pedestal. Ainda no outro dia discutíamos entre nós uma possível troca de carro, ele defendia que deveríamos trocar a minha porque é mais velha, eu argumentava que deveríamos trocar a dele porque não gosto de a conduzir. Ela já devia saber que eu tenho sempre razão e esta avaria só vêm provar isso.

Só espero que no fim não seja nada demasiado caro é que todas as peças para aquele modelo custam balúrdios.

No meio desta confusão toda ainda consigo pensar que apesar de tudo até tivemos sorte. A avaria poderia ter ocorrido amanhã com o carro carregado. Poderia ter acontecido em viagem o que não seria fácil de gerir com quatro pequenos. E nos pior dos casos poderia ter acontecido em Espanha e não sei bem como é que nos íamos desenrascar. No fim o carro até foi bastante atencioso connosco.

Vamos lá ver como nos safamos e se vamos ou não de férias.

Antes da férias trabalhos dobrados

É sempre assim. Cada vez que vamos de férias é uma correria danada. Listas intermináveis de coisa para levar, muitas delas que acabam por não fazer falta mas levamos pelo sim e pelo não. Roupa para escolher e colocar nas malas. Procurar as toalhas, acessórios e brinquedos de praia. Sepaarr e escolher caçado para levar. Roupa para seleccionar e colocar nas malas. Atenção que só na roupa perdemos uma eternidade. Temos que levar roupa para o dia a dia mas também temos que colocar alguma coisa para o caso de haver uma noite, ou outra, mais fria. Depois levamos mais duas ou três mudas por cada um, não vá o caso de se sujarem, bem sabem que as crianças pequenas são propicias a isso. Quando chega a hora de colocar tudo nas malas quase que temos que fazer um milagre.

Depois temos o marido a chatear que a bagageira não pode levar muito peso. Bem sei que depois é ele que sofre a tentar colocar tudo na mala em cima do carro mas as coisas fazem falta.

Para além disso temos que organizar tudo de forma a não deixarmos grandes assuntos pendentes no trabalho. Andamos numa correria a tentar despachar tudo. Ao mesmo tempo vamos-nos lembrando de algo que devemos levar e resolvemos escrever uma  lista. Saímos do trabalho à pressa para dar banhos, fazer jantar e ainda tentar organizar mais coisas. Lavamos roupa a horas estranhas tudo porque não queremos deixar um cesto cheio de roupa, já nos basta a que vamos trazer da viagem.

Tentamos limpar tudo porque queremos deixar a casa limpa e arrumada. Chegamos a um ponto que percebemos que já fizemos mil coisas mas que temos ainda outras tantas para fazer.

Assim se têm passado os meus dias. A boa noticia é que já só falta amanhã.

Devia ficar chateada mas não.

Acabei de receber uma mensagem a dizer que estão com um atraso na produção do sofá que compramos para o quarto de brincar. Pedem-me imensa desculpa pelo incomodo causado e informam que estão a fazer todos os possíveis para nos entregarem o sofá o mais rapidamente possível. Até me fornecem um numero para ligar caso tenha alguma duvida.

Uma pessoa lê a mensagem e pensa que deveria ficar chateada. Vocês ficariam certo?

Pois eu não estou minimamente chateada porque o sofá que paguei já está lá em casa desde sexta-feira. A mensagem deve significar que me vão oferecer outro sofá não acham?

 

Haverá por ai pessoa mais esquecida do que eu?

Vou deixar aqui registo da minha ultima peripécia. Aproveitei a hora de almoço e fui ao supermercado com algumas colegas. Escolhi, com todo o cuidado, uns iogolinos para dar aos gémeos na viagem. Lembro-me de os estar a escolher enquanto comentava com uma das colegas o quanto eles gostam daquilo. Coloquei os artigos no cesto e continuei a fazer o resto das compras.

Mais tarde, já em casa, acabei de arrumar as comprar e percebi que não tinha os iogolinos para os gémeos. Comecei a recapitular todo o percurso do dia a tentar perceber o que tinha acontecido. Não me recordava sequer de os ter colocado no saco das comprar. Procurei o talão e constatei que nem os paguei. Ora os ditos sumiram-se no trajecto entre o momento em que os escolhi e caixa de pagamento. Ainda me questionei se os teria deixado esquecidos no cesto mas eram demasiados pelo que não me parece possível. Resolvi questionar a minha colega se se lembrava de onde eu tinha colocado os ditos. A colega afirmou que me tinha visto a colocar as coisas no cesto mas que não tinha a certeza se era o meu cesto das comprar.

Recapitulando andei a fazer compras para a pessoa errada. Imagino a cara da pessoa quando chegou à caixa e se deparou com bastantes artigos que não tinha escolhido...

Claro que acabei por ter que voltar novamente às compras o que não é novidade para mim.

Angry Birds - O Filme

Domingo foi dia de cinema. Os mais velhos estavam em pulgas para ver o Angry Birds. Ok, confesso que eu também estava com bastante vontade de ver o filme. Por uma lado tinha algum receio que acabasse por ser mais um daqueles que têm mais fama que outra coisa. Recordo-me que pensei que ia adorar os do Minions mas depois achei-o muito aquém das expectativas. 

Contudo este não foi o caso. O filme surpreendeu-me inicialmente porque têm uma história bem estruturada e depois porque explica como começou a guerra entre os pássaros e os porcos. Os personagens são interessantes e ensinam as crianças valores como a bondade, entre ajuda e trabalho em equipa. Também demonstram que existe espaço para todos no mundo mesmo para os que são diferentes de nós.

No fundo existe um grande ensinamento mas aliado a muita patetice e animação. A sala encheu-se de gargalhadas de grandes e pequenos. Um excelente filme para se ver em família.

Deixo-vos o Trailer.

 

Palavras proibidas

Quando temos crianças pequenas existem palavras que não podemos mencionar e desenganem-se se pensão que estou a referir-me a asneiras. No fundo refiro-me a palavras muitos comum e utilizadas diariamente que podem transformar os nosso pequenos em autênticos demónios. Estou certa que as palavras mudam conforme as crianças até porque nem todas têm os mesmos gostos no entanto deixo-vos algumas das palavras que têm que ser ditas entre dentes cá me casa.

Água é uma coisa que nunca deve ser mencionada e o seu consumo deve ser feito às escondidas dos gémeos. Tudo porque adoram beber água, é só verem ou ouvirem a palavra e lá vêm ele pedirem alguma para beber. Bebem tanto que qualquer dia criam sapos na barriga.

Comida é outra palavra que não pode ser dita em voz alta. Todos os meus rapazes nasceram com a bicha solitária e estão sempre prontos a comer. Comem o deles e cinco minutos já estão a pedir comer. Podem estar cheios até mais não mas se nos virem a mastigar algo vêm logo pedir.

Rua também está proibida de ser mencionada. Os gémeos estão uns galdérios, só querem passear e assim que ouvem a palavra correm a buscar os sapatos. Na verdade nem é preciso ouvir a palavra, assim que vêm que estamos a mudar de roupa tratam logo de se sentar ao pé da porta com os seus sapatos para os calçamos. Isto é bom quando vamos sair todos mas é péssimo quando apenas um de nós vai sair. Acabam por ficar aos berros ao pé da porta a chamar por quem saiu de casa.

Por ultimo também não podemos falar em banho até já pensei em começar a dizer duche só para os despistar. É sempre o mesmo filme,  digo aos mais velhos para irem tomar banho e os gémeos desaparecem. Vou à procura deles e encontro-os assim.

2016-06-06 10.52.32.jpg

2016-06-06 10.52.46.jpg

 A sorte é que ainda não se sabem despir mas acho que daqui por uns meses quando me aperceber já estão despidos e tudo.

E por ai também há palavras que não podem ser mencionadas?

Novos livros do Lego

Já há muito que as construções de Lego deixaram de ser só feitas ao vivo e a cores. Hoje em dia a marca Lego está presente em filmes, videojogos, vestuário entre muita outras coisas. Esta semana fomos apresentados a um novo conceito da marca.

No dia da criança recebemos pelo correio um pequeno mimo que fez um grande sucesso cá em casa. Inicialmente pensei que apenas o Leonardo iria adorar mas acho que ainda vi mais entusiasmo nos olhos do Guilherme.

2016-06-05 08.09.19.jpg

 Estas novas versões de livros são bastante interessantes. O mais pequeno têm três histórias que entusiasmaram o Guilherme.

2016-06-05 08.09.54.jpg

O livro maior fez a delicia dos dois. Têm algumas actividades e um monte de autocolantes que lhes permitem dar largas à imaginação nas inúmeras páginas do livro. 

2016-06-05 08.10.13.jpg

2016-06-05 08.10.29.jpg

2016-06-05 08.10.46.jpg

2016-06-05 08.11.01.jpg

 Escusado será dizer que os livros já foram passear para a escola na quinta, na sexta e hoje também. A maior parte dos autocolantes foram colados e os restantes distribuídos pelos amiguinhos da escola.