Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Desafio Liebster Award!

cindy nomeou-me para mais este desafio eu, embora já tenha respondido no ano passado, resolvi participar novamente. Afinal as perguntas são diferentes e será giro ver as diferenças entre as duas participações. Prometo que só vou ler o que respondi depois.

As regras são: contar 10 fatos sobre mim, responder a 10 perguntas e formular outras 10  para os blogs que nomear.

 

19456755_qsymV.png

10 Fatos sobre mim!

 

  1. Sou uma romântica incurável
  2. Sou resmungona
  3. Fervo em pouca água
  4. Adoro o mar, praia e calor
  5. Adoro andar à chuva
  6. Sou gulosa
  7. A família está sempre primeiro
  8. Sou muito amiga dos meus amigos
  9. Adoro animais
  10. Sou uma pessoa optimista

 Resposta às perguntas da Cindy:

 

P: Onde te imaginas daqui a 10 anos?

R: Não me imagino noutro local se não onde estou. Espero já ter os filhos crescidos, mais tempo para mim e para o marido.

P:Qual o teu passatempo preferido?

R: Ler apesar de neste momento não o fazer com muita regularidade

P: Um livro que te tenha marcado.

R: "As vinhas da ira"

P:Um momento decisivo na tua vida.

R: O dia em que descobri que estava grávida do meu primeiro filho.

P: A tua viagem de sonho.

R: Ir ao Egipto, fazer um cruzeiro no Nilo e conhecer as pirâmides.

P:Qual a tua música preferida?

R: "nothing else matters"

P:Qual a tua série preferida?

R:ER serviço de urgência.

P:O que trazes sempre na carteira?

R: Os meus documentos.

P: Qual o teu prato preferido?

R:Qual o assado no forno.

P:És uma pessoa gulosa?

R: Devoro tudo o que seja doces.

 

Agora resta-me deixar perguntas para as vitimas:

  1. Qual é a tua cor preferida?
  2. Qual o teu filme preferido?
  3. Calor ou frio?
  4. Qual o teu doce preferido?
  5. Qual a tua cidade preferida?
  6. Maior defeito?
  7. Não vives sem...
  8. O que adoras comer?
  9. Gostas de viajar?
  10. Se pudesses mudar algo na tua vida o que seria?

Agora vamos às vitimas:

Vânia

pequenosencantos

Como dar a volta a uma birra.

Tivemos um fim de semana para esquecer, depois conto vos porque. Devido a termos andado tão atarefados optamos por encomendar uma pizza para o almoço de domingo. Sai do banho partilhado com os gémeos, o marido ligou a encomendar a pizza e os mais velhos enfiaram-se no polibã a tomar banho juntos. Eu segui para a cozinha, cortei as unhas aos pequeno e dei-lhe comer, enquanto o marido aspirava os quartos e lavava o chão. Os mais velhos saíram do banho e o Leonardo foi o primeiro a chegar à cozinha, curiosamente despachou-se primeiro que o irmão, coisa que nunca acontece. A palavra pizza faz milagres.

Ora o Leonardo chega à cozinha, olha para a pizza e fica chateado. Afirmou que não gostava daquela pizza e que não ia comer. Eu expliquei-lhe que ele gostava de tudo o que a pizza levava excepto as azeitonas mas podia tirar uma fatia sem ou desviar as azeitonas. Ele continuou a chateado que não queria aquela pizza e que queria comer outra coisa. Eu disse-lhe que não ia fazer nada de propósito para ele, ou comi a pizza ou não comia nada. A resposta foi, claro, que não queria comer nada. Nós estávamos cansados, com pouca paciência e optamos por o mandar sair da mesa. Acabados de almoçar disse aos mais velhos para irem fazer os trabalhos de casa enquanto nós acabávamos de arrumar as coisas.

Passado um pouco o marido disse-me para ir ver do Leonardo porque ele ainda não tinha feito nada dos trabalhos. Estava amuado e a embirrar com tudo. Porque não tinha lápis de cor, porque não sabia fazer, porque ia demorar muito tempo. O marido estava a ficar irritado com o amuo dele e eu  não me sentia com forças para me chatear com ele.

Já que o motivo principal de embirração eram os lápis de cor resolvi tentar dar-lhe a volta. Fui buscar a minha bela caixa de lápis de cor da caran d'ache e fui ter com ele.

Abrir a caixa e perguntei-lhe se queria pintar com os meus lápis. Vi os seus olhos brilharem perante aqueles 30 lápis de cor tão perfeitamente alinhados mas mesmo assim não quis dar parte fraca e abanou a cabeça. Eu disse-lhe:

- Tens a certeza que não queres usar estes têm tantas cores.

- Mas não tem nenhuma cor que preciso.

- Como é que não, têm as cores todas.

- Preciso pintar o peixe.

- Então podes pintá-lo de vermelho como os peixinhos do aquário.

- Já sei vou pintá-lo de laranja. Mãe porque é que tens essa caixa de lápis guardada?

- É que esta caixa é muito especial é um pouco mágica.

- O que é que ela faz?

- Faz os meninos ficarem felizes.

- É mesmo mágica! Até já me fez ficar feliz. - respondeu enquanto pintava tudo num instante.

Ficou tão contente que fez o resto dos trabalhos num instante. Eu guardei a minha caixinha mágica num local secreto para usar quando estivermos a precisar de alegrar meninos.

Do virtual para o real! - versão Catarina

Sexta-feira cheguei ao trabalho, abri o outlook e deparo-me com um email um pouco estranho.

Leiam com os vossos olhos:

 

“Catarina, Bom dia, (é a chic' ana) Sei que vais achar isto do mais estranho que existe... e eu também achei. Antes de mais quero que saibas que não sou nenhuma stalker e que nem fui eu que iniciei a conversa... E nem comentei que poderia conhecer a Catarina da conversa! Hoje de manhã no carro: "A Catarina tem 4 filhotes, cada um com uma personalidade muito própria, os gémeos, que foram batizados o ano passado em Junho ou Julho, são o Santiago e o Salvador, parece que adivinham que eu tenho problemas nas costas e dão um jeito enorme a mudar as fraldas.. Este ano foram à Disney com os mais velhos..." E eu fiquei com as antenas no ar.... "Só pode ser a "minha" Catarina"... qual a probabilidade de acontecer?? Sendo que o mais velho se chama também Guilherme?? Catarina, acho que temos alguém em comum!!!! E eu estou aqui com um sorriso parvo, parece que descobri a pólvora!”

 

Eu nem podia acreditar. Como? Quando? Quem?

Seguiu-se uma troca frenética de email entre nós no qual percebemos que temos uma pessoa muito querida em comum. Essa pessoa é tão querida no meu coração que a considero como uma segunda mãe. Tão querida que foi a pessoa que escolhi para madrinha dos gémeos. Fiquei então a saber que esta pessoa é muito amiga da chic' ana já se conhecem à mais de vinte anos. Percebi que já tinha ouvido a minha amiga a referir-se à chic' ana várias vezes sem saber que a conhecia. Ok não a conheço pessoalmente mas já a considero uma amiga muito querida.

Isto só prova que o mundo é muito pequeno. Agora só falta mesmo encontramos-nos cara a cara.