Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Dor de cabeça

Tenho uma dor de cabeça que já dura à três dias. É daquelas chatas que não desgrudam nem por nada. De  manhã acordo e, por breves momentos, penso que já passou mas depois percebo que afinal ainda cá está apenas um pouco mais leve. Depois ao longo do dia vai aumentando gradualmente. A esta hora até a luz já me faz confusão aos olhos. Ontem, decidida a não me deixar vencer por uma simples dor de cabeça, fui à ginástica mas digo-vos que custou. A cada movimento mais brusco parecia que tinha uma pedra dentro da cabeça. Pedra esta que subia e depois vinha aterrar com toda a força dentro da minha testa.

Apesar disto tudo continuo sem tomar nada para que a dita se vá embora. Eu e a minha teimosia contra medicamentos. Vou continuar neste braço de ferro entre mim e ela. Vamos lá ver quem é que vai ser mais teimosa.

P.S: Cheira-me que vou ser eu, elas acabam sempre por se cansar e ir embora.

Gémeos destruidores.

Cada vez que penso que já não há mais nada para inventar eles conseguem surpreender-me. Na semana passada tomaram o gosto de mexer numa pequena cómoda que tínhamos no corredor. Todos os dias lá iam ele abrir as gavetas e divertir-se a colocar os bonés do pai na cabeça. Todos os dias era um abre e fecha de gavetas, bonés espalhados por todo o lado. Entretanto um dia o marido chama-me para ver uma coisa estranha que ele tinha encontrado. Estivemos uns minutos a olhar para aquele pequeno objecto e analisar o que poderia ser. Tratava-se de uma esfera minúscula que não fazíamos ideia de onde tinha aparecido. Acabamos por esquecer o assunto e deita-la fora. No dia seguinte avistámos mais uma, depois outra e ainda mais outra. Começamos a ficar preocupados até porque os gémeos poderiam encontrar alguma e ingeri-la.

Acabamos por descobrir que as esferas pertenciam aos rolamentos das gavetas da cómoda. Tanto abre e fecha não podia dar bom resultado. Acabamos por deitar o móvel fora porque, às tantas, as gavetas já nem abriam nem fechavam e cada vez que se tocava nele tínhamos esferas por tudo o lado.

Para além desta baixa as fitas da cozinha continuam a cair que nem moscas. Ontem foi mais uma.

2016-04-07 10.35.32.jpg

 Já perdia a conta a quantas já arrancaram. O que vale é que o marido, como é um gajo jeitoso, vai conseguindo remediar a situação. Vira a fita ao contrário, faz um buraco novo e coloca-a no sitio. O senão é que ficamos com padrão estranho no fundo das fitas.

2016-04-07 10.36.02.jpg

 Por agora pode parecer estranho ter uns buracos no fundo mas, a continuar assim, não tarda nada estarão todas iguais e já nem se nota. Ainda o marido queria comprar uns estores novos. Acho que não vamos comprar mais nada até eles terem para ai uns 20 anos e deixarem de estragar tudo em que mexem.

 

Estão muito mal habituados

Conversa entre mim e os mais velhos, no carro a caminho da escola.

- Mãe estamos quase a entrar de férias grandes, não estamos? - pergunta o Guilherme

- Já não falta muito. Mais dois meses e acaba a escola. - respondi

- Então e depois temos um mês inteiro de férias? - pergunta o Leonardo

- Não vamos ter 100 dias de férias! Não é mãe? - comenta o Guilherme

- Pensando bem devem ser perto de 100 dias afinal as férias duram um pouco mais de três meses.

- Que fixe! Estamos quase de férias e depois vamos para um hotel e para a praia! - exclama o Leonardo

- Hotel? Leonardo já estivemos num hotel este ano. Gastamos o dinheiro todo na viagem à Disney pelo que já não vamos para lado nenhum.

- Já não vamos para um hotel? Que seca!

Eu estive que me conter para não me rir da maneira como disse aquilo. Mais tarde contei ao marido a conversa e chegamos à conclusão que estão muito mal habituados.