Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Uma forma de os entreter.

Aos poucos tenho vindo a descobrir novas formas de entreter os gémeos. É preciso ver que tempo em que estão entretidos não estão a fazer asneiras. Uma noite desta, enquanto estava a fazer o jantar dei-lhes um pacote de massa e o Santo ficou entretido a noite toda.

2016-02-03 11.26.16.jpg

2016-02-03 11.26.35.jpg

2016-02-03 11.27.21.jpg

 Esteve o tempo todo a colocar e tirar peças de lego do pacote. Decididamente não vale a pena comprar brinquedos, excepto o lego que deve ser a única coisa com que eles brincam.

Será que são todos iguais?

Bem sei que todos temos personalidades diferentes e isso reflecte-se nos nossos actos. No entanto existem comportamentos que parece que são iguais para toda a gente. Por exemplo: todos os meus quatro meninos passaram pela fase de colar a cara à televisão. O lema é quanto mais perto melhor, ontem fui dar com os gémeos assim.

2016-02-03 11.27.45.jpg

 Já tentei mil e uma coisas e nada resultou. Entretanto em conversa com outras pessoas todas se queixaram de terem o mesmo problema. E vocês também tiveram este problema? Como é que o solucionaram?

Cansada? Não é só impressão.

Estou exausta, tenho uma olheiras que me chegam quase até ao chão mas ainda tenho que aguentar mais uns dias.O trabalho ainda vai a meio e como se não bastasse lembraram-se de fazer umas mudanças no armazém. Experimentem tentar trabalhar e ao mesmo tempo andar com a casa às costas. Agora mexe para ai, agora muda para acolá, agora pega e põe ai.

Eu bem digo que não me vou preocupar mas acabo por não conseguir. Passo o dia a correr chego a casa exausta, irritada e sem paciência.Adormeço assim que me sento no sofá de tão cansada que estou. Depois a meio da noite acordo com uma choraminguice de um dos gémeos ou, simplesmente para ir à casa de banho e levou horas até adormecer novamente. Tenho sono, quero dormir mas a cabeça não deixa. Começo como quem não quer a fazer listas de prioridades para o dia seguinte.  É mais ou menos assim: quando chegar ao trabalho faço isto, depois aquilo, não me posso esquecer de falar com fulano x sobre aquele assunto, é verdade tenho aquele assunto mega importante então vou ter que tratar disto primeiro e só depois é que posso fazer isto e aquilo. Nas últimas noites já adoptei uma estratégia nova, em vez de ficar a fazer planos e estratégias imaginárias dedico-me a alguma coisa útil. Tenho lavado e secado roupa e já pus as minhas séries em dia. Acabo por adormecer cerca de uma hora antes de o despertador tocar e depois fico com a impressão que tinha acabado de fechar os olhos.

Tenho aproveitado todos os minutos para trabalhar. Evito beber água para não ir à casa de banho, aproveito um pouco das horas de almoço para trabalhar e tenho negligenciado as compras. Na quinta-feira vi-me forçada a ir durante ao almoço ao supermercado porque era isso ou passar fome. Não tinha carne, ovos, massas, verduras, bolachas, fraldas...não tínhamos nada.

Nestas tentativas de aproveitar todo o tempo para trabalhar descobri que o meu carro é muito inteligente. Acende, como todos os outros, a luz de reserva para me indicar que precisa de combustível mas, se a ignorar durante um bom tempo, tipo 40 km, ele trata de começar a piscar a luz da reserva intermitentemente como quem diz: " Se não me pões combustível paro aqui imediatamente".

O que me vale é que tenho sempre muito apoio. O marido tem sido uma ajuda preciosa. Quando chego a casa já lhes deu banho, já ajudou os mais velhos a fazer os trabalhos e já adiantou mil e uma coisas mais. Passou os últimos três sábados com eles em casa enquanto eu vou trabalhar. A minha mãe tem ficado com eles mesmo tendo estado doente e tem ajudado com os mais velhos ao sábado.

Bem, vou ver se já consigo dormir porque está quase na hora de o despertador tocar.

 

Pág. 4/4