Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Sabemos que o nosso filho já está crescido quando

Deixamos os gémeos em casa, com a avó e o pai, e ao fechar a porta ouvimos a choradeira habitual. Sentimos uma palmadinha no ombro e ouvimos:

- Não te preocupes mãe que eles já se calam.

Entretanto o elevador chega e percebemos que o choro terminou.

-Vês mãe? Já podes ir descansada que eles já se calaram.

 

Nos lembramos à porta da escola que é necessário colocar batom nos lábios dele porque estão cheio de cieiro. Chamamo-lo de volta enquanto procuramos o batom na mala. Reparamos que se sentou novamente no carro e pensamos: " que exagero não demoro assim tanto a encontrar o batom na mala". Encontrado o batom vamos para lhe por nos lábio e ele não para de fugir com a cara. Apercebemos-nos então que está a tentar esconder-se para que os colegas não vejam.

 

Começa assim e qualquer dia já não quer beijinhos à porta da escola.

Sei que preciso de férias quando

Sei que preciso de férias quando começo a fazer coisas parvas e sem nexo. Sei que é o cansaço que me vai pregando partidas e por isso preciso descansar. Descansar tanto quanto é possível com quatro crianças em casa. Mas só o facto de não ter que acordar às 6:30H da manhã, possivelmente até vou acordar na mesma mas já não é obrigação. Só o facto de não ter que sair a correr de casa para para em imensas estações e apeadeiros enquanto tento chegar a horas ao trabalho. Uns dias sem ter que ir a correr ao supermercado à hora de almoço porque ao final do dia não tenho tempo. Uns dias sem ter que sair a correr do trabalho porque tenho que ir à piscina, buscar o Gui à musica, dar banhos, fazer jantar, arranjar lanches, arranjar roupa.....

Sim estou mesmo a precisar de uns dias sem isto tudo e esse dias estão mesmo a chegar. Só tenho que aguentar este cansaço por mais uns dias mas sinceramente não sei se consigo. A semana passada tive que ir cinco vezes ao supermercado para comprar o comer dos peixes. Ontem o marido perguntou-me se ainda não tinha comprado o liquido de limpeza da máquina da loiça. Não, ainda não comprei apesar de há quase um mês que ele me pede o mesmo diariamente.

Mas o alerta vermelho, para mim, chegou esta manhã. Andei à pressa a despachar-me de manhã porque o carro estava na reserva e precisava de ir atestar o mesmo.Tratei dos miúdos, quando estávamos prontos a sair fui colocar as fraldas no lixo e descubro que afinal só mudei a fralda a um dos gémeos. Como já estava atrasada acabei por sair de casa assim e depois informar a avó que tinha que descobrir qual é que faltava mudar. Ainda antes de sair de casa, coloquei ao pé das minhas coisas um voucher de umas massagens que temos para gozar. Foi uma oferta de uma prima no baptizado dos meninos, uma massagem para mim e para o marido. Temos planos para ir usufruir das mesmas durante as férias, isso claro se eu me lembrar de as marcar. Hoje lembrei-me de pegar na embalagem para a trazer e adivinhem lá onde é que ficou? Pois ficou exactamente onde a coloquei inicialmente, no móvel da entrada de casa.

Depois de deixar os gémeos fui para as bombas. Atestei o carro e segui em direcção à escola para deixar os mais velhos. Liguei aquele famoso piloto automático que por vezes conduz o meu carro. Volto a mim e reparo que programei o caminho do trabalho em vez do da escola. Dou por mim em plena A1 com os dois mais velhos no carro. Claro que tive que sair e voltar a trás para os deixar na escola. Passo à porta do trabalho do marido e os miúdos começam a gozar a dizer que o pai ainda nos via e eles se punha a cenar para ele. Faço o resto do trajecto com o Guilherme a dizer:

-8:50H.

-8:52H

-8:55H

-8:58H. Mãe vamos chegar mesmo em cima da hora.

Finalmente deixei-os na escola e acelerei para o trabalho. Claro que cheguei atrasada mas podia ser pior. Poderia ter aparecido com mais dois funcionários novos.

Agora a sério. Por vezes lia ou ouvia aquelas noticias sobre as pessoas que se esquecem das crianças nos carros e não percebia como é que era possível. Hoje verifiquei que é muito possível. É muito fácil fazer o trajecto que fazemos todos os dias e esquecer de sair naquela determinada saída, ou fazer aquele desvio necessário. Se a isso juntarmos um bebé ou uma criança pequena que adormeceu no carro e não faz barulho então a tragédia já não me parece tão descabida. No meu caso habituei-me a conferir se não me esqueci de nada porque um segundo a confirmar pode fazer toda a diferença.