Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Digam lá que não somos malucos!

Não é segredo nenhum que o nosso dia a dia não é fácil. Isto de cuidar de quatro crianças não se faz com uma perna às costa.

Durante as ferias escolares a coisa funciona mais ou menos. Não há trabalhos, não há actividades, não há recolher obrigatório. Sim continuam-se a levantar cedo mas acabam por acordar mais descansados porque gastam menos energias.

O ano passado tivemos a experiencia de como era, avassalador, conciliar as coisas com dois bebes pequenos e os mais velhos na escola. Era avassalador e eu ainda estava de licença, os gémeos ainda eram bebes que ficavam presos na espreguiçadeira e só um é que estava no ensino obrigatório.

Este ano tudo é diferente. Eu não só voltei ao trabalho como já nem horário reduzido tenho.Temos duas crianças com trabalhos de casa para fazer. Os gémeos tentam roubar tudo aos mais velhos enquanto estes estão a fazer os trabalhos. Quando estamos os dois pais em casa é o menos, um fecha-se com os gémeos na sala, embora eles fiquem a espreitar pelos vidros da porta e a berrar, e o outro ajuda os mais velhos nos trabalhos. Mas quando estamos sozinhos aquilo é um inferno! sabem o que é ter uma criança a tentar escrever no caderno enquanto um dos irmãos lhe tenta puxar o mesmo?

Depois vêm as actividades. Não somos apologistas de entupir os miúdos de actividades mas sem que déssemos por isso estamos entupidos de actividades. Começamos pela piscina porque é uma actividade que sempre tiveram. Este ano optamos por voltar à modalidade de duas vezes por semana o que implica três idas por semana à piscina. Depois o Guilherme interessou-se pela musica e quis entrar para a orquestra. Ora isto implica aulas três vezes por semana, há dias em que vai directo da escola para a musica. Chega a casa por volta das 19:30H e ainda tem que tomar banho, jantar e fazer os trabalhos. Por vezes tenho pena dele mas a verdade é que está todo entusiasmado e vem todo motivado da musica. Nos dias  que vem da musica chega a casa e faz os trabalhos com maior rapidez e afinco que nos outros.

Resta saber até quando iremos aguentar esta correria de ir buscar à escola, ir levar à musica, ir buscar os mais novos, ir buscar à musica, ir levar à piscina, ir buscar à piscina....

Haverá por ai alguém mais masoquista que nós? 

Por favor deixem o pão em paz!

Aproveitei a hora de almoço para dar um salto ao supermercado. Vou buscar um pouco de pão e deparo-me com um casal muito indeciso sobre a qualidade do pão a levar. Eu aguardo pacientemente enquanto eles pegam e apalpão praticamente todo o pão do supermercado.

Mas que raio de mania é esta de apalparem o pão? Ainda no outro dia tive a mesma situação com duas senhoras já de uma idade um pouco avançada. Com esta idade até percebo que é necessário verificar se o pão é macio mas não é preciso mexer nos pães todos.

Hoje estava ali a observar à espera da minha vez, acabei por contorna-los e apanhar um saco que a padeira estava a colocar. Apresei-me a vir embora porque só me apetecia gritar-lhe que deixassem o pão em paz.