Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Despedida em familia.

No domingo fizemos um jantar de surpresa para uma prima e para o namorado. Fui surpreendida com a noticia que vai emigrar e a viagem é já este fim-de-semana. Uma das tias resolveu organizar-lhe então um jantar surpresa de despedida. Convidou-a para jantar, quando entraram no restaurante depararam-se com a família, quase toda, à espera. Infelizmente houve pessoas que não conseguiram ir, o marido foi uma delas.

Ficou em casa com os gémeos que estão novamente cheios de pieira. Ele tinha muita vontade mas estávamos com receio que os meninos piorassem.

Jantamos no Grande Mundo no parque das nações. O comer é bom se bem que com pouca escolha. O Guilherme fartou-se de comer gambas fritas, o Leonardo comeu almôndegas com batata frita ( não havia esparguete). Eu provei um pouco de tudo mas fui munida de anti-histamínicos, por causa da alergia à soja.

O jantar correu bem, a prima ficou radiante. Recebeu um pequeno álbum cheio de fotos nossas e respectivas dedicatórias. As crianças fizeram desenhos, fizemos desenhos das mãos dos bebés. O álbum estava tão giro que roubou imensas lágrimas à malta.

Fico triste com a partida da prima. Fico triste porque este pais torna tudo tão difícil que faz com que as pessoas tenham que partir. Fecham-se a porta às pessoas e apenas lhes resta ir bater para outras portas. Depois vêm com estudos que afinal a taxa de emigração não baixo como previam. Claro que não baixou e não acredito que vá baixar tão cedo. As pessoas continuam a partir. Apesar do que o governo diz nós povo não vemos melhoria nenhuma.

Se tudo correr bem, a prima vai ter uma vida melhor. Vai conseguir realizar todos os seus sonhos e ambições. Vai ser feliz e se ela for feliz, todos nós vamos ficar contentes por ela. Porque a família é assim, apenas quer o melhor para nós.

Semana de consultas

Não sei bem como é que arranjo isto mas ou hei-de estar semanas sem ir ao médico ou hei-de agendar tudo para a mesma semana. Esta foi uma daquelas em que tivemos bastantes consultas.

Na terça-feira, levei o Leonardo ao otorrino. Fez exames de audição e de seguida tivemos consulta com o doutor. Portou-se lindamente nos exames até recebeu elogios do técnico que lhe fez os exames. Seguimos para a consulta na qual o doutor informou que estava tudo óptimo. Esta a ouvir perfeitamente mas ainda tem o tubinho no ouvido. Ainda tentaram retirar mas ele não deixou, mesmo assim tivemos alta da consulta. Recomendaram muita água a ver se o tudo sai finalmente e se houver algum problema podemos voltar.

Enquanto esperava, cá fora, para pedir justificações percebi que o Leonardo estava muito triste. Questionei-o cobre o assunto e disse-me:

- Estou preocupado porque ainda tenho o bicho no ouvido.

-Ó filho não faz mal. O bicho já está morto e qualquer dia sai.

-Mas o bicho pode ser venenoso!

Aprendi que não os devemos enganar. A minha tentativa de o intimidar para deixar tirar o tubo resultou no oposto. Todos os dias vou apreendendo com estas crianças.

Ontem fomos ao oftalmologista com os gémeos e à psicóloga com o Guilherme. A avó levou o Gui à consulta enquanto eu fui com os gémeos para o oftalmologista. Depois a avó juntou-se a nós até ter que sair novamente para ir buscar o Gui. A consulta dos gémeos demorou imenso.

Primeiro fizemos um exame. Como são pequeninos não fizeram aqueles exames que nós adultos fazemos em que encostamos o queixo na máquina, espreitamos pelo buraquinho e observamos uma imagem enquanto a máquina nos faz as medições. O exame deles consistiu numa espécie de teatro, na qual iam aparecendo placas cinzentas com um quadrado com ricas. Podem ler mais sobre este exame aqui.

Percebemos que os meninos tem uma visão perfeita. O Santiago teve os valores no máximo e o Salvador um pouco mais a baixo mas totalmente dentro dos parâmetro. Não acredito que um veja melhor que o outro acho que esta diferença de resultados se deve à personalidade deles. O Santiago é mais calmo e mais atento. Colaborou muito bem no exame. O Salvador é mais irrequieto e não gosta nada de estar parado. Foi mais difícil fazer-lhe o exame porque estava sempre a tentar ir para o chão, não demonstrou muito interesse em seguir as placas.

Foram vistos pela Doutora que afirmou estar tudo bem, não há estrabismo o que me preocupava um pouco devido ao Leonardo. De seguida colocamos uma gotas para dilatar os olhos e fomos brincar.

20151001_165447.jpg

20151001_165534.jpg

Esperámos cerca de uma hora enquanto os outro meninos iam sendo vistos. Depois por volta das 18H lá fomos chamados novamente. Deitamos os meninos numa maca, embrulhamos os num lençol para não se poderem mexer e a doutora esteve a ver os olhos deles. Estava tudo perfeito e só precisamos voltar entre os 3 e os 4 anos.