Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Viagem à Madeira

Ainda não vos contei sobre a nossa viagem. Deixem que vos diga que não começou muito bem. O voo saiu 10 minutos atrasado mas chegou a horas à madeira. Tínhamos alugado um carro e alguém da rent a car ia ter connosco ao aeroporto. O Sr. era a simpatia em pessoa ( caso não tenham percebido, estou a ser irónica) disse que teríamos que ir com ele até ao escritórios da Bravascar. Saímos do aeroporto e estava a chover.

Chegamos ao escritório e começamos a tratar da papelada. Fomos informados que teríamos que pagar mais por já ser fora de horas. Ninguém nos informou quando fizemos a reserva e esta lá mencionado o horário de chegada do voo. Pagamos mas já fiz uma reclamação junto da companhia pela qual fiz a reserva. Tudo pronto, recebemos a chave do carro e a indicação que em principio não nos deveria dar problemas ( em principio, que bom).

Iniciamos a viagem até ao hotel, perdemos nos. Tive eu a imprimir o percurso no via Michelin e estava errado. Lá conseguimos dar com o hotel com a ajuda do google maps do telemóvel.

Chegamos ao hotel e as coisas começaram a sorrir. Os recepcionistas não eram as pessoas mais simpáticas mas fomos bem recebidos e o hotel era muito bom. Ficamos aqui.

Chegamos ao quarto e já nem nos apetecia sair.

20150919_000120.jpg

No entanto, a fome falou mais alto e lá fomos nós à procura de um sitio para comer. Andamos um pouco de carro em direcção ao Funchal e encontrámos um restaurante, chamado PVP, onde jantar. Eu pedi risoto de garoupa e o Rodrigo linguini com peito de frango e mexilhões.

O marido torceu o nariz ao meu risoto mas depois de provar rendeu-se há evidencia que estava fantástico. Eu provei do linguini dele e devo dizer que estava fenomenal.

20150918_222906.jpg

20150918_222917.jpg

 Depois de jantar demos uma voltinha antes de voltarmos ao hotel.

No sábado tomamos o pequeno almoço e saímos. Perdemos nos, mais uma vez, a caminho do pico do Areeiro mas lá acabámos por chegar. Não vimos nada porque estava um nevoeiro cerradinho, teremos que voltar para ver as vistas. Em Santana o tempo já estava um pouco melhor. Compramos fruta, pão quentinho e uns biscoitos de mel maravilhosos numa feira de rua. Fomos continuando a contornar a ilha. Depois de Porto Moniz quisemos ir à pontada do Tristão, o GPS indicou-nos uma estrada minúscula e com uma inclinação de, para ai 90%. O marido estava em pânico a subir aquela estrada com curvas em cotovelo, dizia que se parecemos a meio teríamos que fazer marcha atrás até ao inicio porque o carro não tinha força para arrancar a meio. Conseguimos chegar ao topo do monte sem nos cruzarmos com ninguém e descobrimos que havia outra estrada muito melhor do que a que acabámos por fazer.

Tomei banho na ponta do sol, estava a ver que não conseguia ir ao banho, mas só aqui é que o tempo estava quente. Engraçado que encontramos 3 ou 4 estações do ano durante a volta há ilha. Acabamos o percurso no hotel, tomamos banho e saímos para jantar. Resolvemos experimentar outro restaurante, mais valia termos ficado pelo mesmo de sexta-feira. O comer era muito sem sabor e o serviço de atendimento péssimo ao ponto de eu pedir um gelado e trazerem-me uma salada de frutas. Tem tudo a ver? Eu compreendia se o restaurante estivesse cheio e com muito barulho mas estavam apenas meia dúzia de pessoas.  Demos outra passeata à beira mar e voltamos ao hotel.

No domingo fizemos o check out depois do pequeno almoço, com muita pena. Não tivemos oportunidade de experimentar as piscinas(interior e exterior), o ginásio nem a sauna .

Fomos para o Funchal, apanhamos o teleférico para o Monte com ideia de fazer a descida dos cestos. Chegados lá acima descobrimos que fecham ao domingo, não fiz bem o trabalho de casa. Eu e muitos outro que, como nós, bateram com o nariz na porta.  Apanhamos o teleférico para baixo e fomos até à ponta de são Lourenço. Vimos vistas fantásticas, à vinda paramos em Machico a dar uma voltinha. Depois fomos entregar o carro e levaram-nos ao aeroporto. O voo saiu um pouco mais cedo e chegamos 25 minutos antes da hora a Lisboa.

A viagem teve altos e baixos mas mesmo assim valeu a pena. Aaté porque, diz-me a experiência, lembramos nos mais depressa dos azares que das coisas boas. Sinto que ainda nos vamos rir muito, daqui por uns tempos, à conta de algumas peripécias da viagem.

Primeiros dias de aulas

Os primeiros dias de aulas estão a decorrer e por aqui está a correr tudo bem. Estava muito receosa porque os mais velhos foram para uma escola nova. Na semana passada falei com as professoras na apresentação. Acho que devem ter achado que eu sou uma mãe galinha mas tinha que as alertar para as particularidades de cada um. Precisei alertar a professora do Guilherme para as dificuldades dele e explicar que se fosse preciso poderíamos iniciar o processo para o apoio especial. Em relação ao Leonardo, achei por bem precaver a professora acerca do feitio tão especial que tem o meu filho.

Os dois primeiros dias correram bem. Ainda não ouve queixas do Leonardo.Ele está feliz, tem ido satisfeito para a escola. Ambos dizem que gostam dos colegas e das professoras. Também estão contentes porque podem brincar juntos no recreio.

Quanto ao comer tudo na mesma. No primeiro dia disse que comeu três pratos de almôndegas com esparguete, claro que não comeu a sopa. Ontem disse que comeu muito arroz, o peixe, os legumes e a sopa ficaram por comer.