Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Porque é que o brinquedo do outro é sempre melhor que o meu?

Ontem cheguei e deparei-me com esta situação.

 

2015-05-22 14.16.46.jpg

 Estavam os dois a bulha por causa do brinquedo.

Ultimamente é assim, um pega num brinquedo e vem logo o outro porque também quer. Ainda hoje fomos à consulta de otorrino e a dada altura estava o Salvado a chorar porque não conseguia tirar o brinquedo ao irmão. A doutora ainda tentou mostrar-lhe outro brinquedo mas não adiantou de nada, porque não era o que o irmão tinha.

Fico a pensar que se calhar a culpa é minha porque compro sempre bonecos diferentes para os dois. Mas varias mães de gémeos me dizem que mesmo comprando brinquedos iguais a história é igual. Fico na duvida e não sei bem o que fazer.

Lembra-me aquela história que a galinha da minha vizinha é sempre melhor que a minha.

 

Como é possivel fazermos tanto lixo.....

Ultimamente tenho constatado que lá me casa produzimos uma quantidade anormal de lixo. Ainda ontem levei um saco de lixo cheio quando fui comprar pão, por volta das 19H. Hoje de manhã para meu grande espanto deparei-me com um saco já cheio de lixo. Claro que seis fraldas, restos do jantar e pequeno almoço,cascas de frutas e outros afins tinha que dar nisto. Para alem deste caixote existe um outro, utilizado para a reciclagem que também está sempre cheio. Sinto que passamos a vida a acartar, todos os dias são sacos de compras para cima e sacos de lixo para baixo. Seis pessoas  a comer, beber, etc é igual a muitíssimo lixo.

Andavam ai a falar de se começar a pagar uma taxa sobre o peso do lixo, pois eu espero que essa taxa esteja a anos luz de entrar em vigor. Caso contrário vamos a falência na certa.

Sim porque cá em casa é tudo em grande, são máquinas e máquinas de roupa para lavar, são máquinas de loiça diárias, banhos que nunca mais acabam, pilhas e pilhas de roupa para passar a ferro, contas de luz, gás e água que aumentam de mês para mês.  Só é pena que os salários também não sejam em grande. Enfim é o que temos. Mas se se lembrarem de avançar com aquilo do lixo fazemos uma fogueira na varanda para queimar a maior parte do lixo. Já estou a imaginar fogueiras por todo o lado.

Um pouco mais calma

Sim hoje estou um pouco mais calma mas as previsões realizaram-se. Passamos horas a tentar preparar uma entrega para um cliente. Andei como louca a pedir paletes a marcar carro e organizar a logística toda. Hoje às 8:45H já me estavam a ligar porque não conseguiam recolher as paletes. Tive que estar a tratar do assunto e quando chego às 9:30H descubro que afinal o cliente não confirmou a entrega... Parece que andamos à caça de gambozinos.

Não é para uma pessoa ficar lixada?

contar até dez

Considero-me uma pessoa paciente mas há gente que me tira do sério. Fico sem perceber se eu sou sobredotada ou se os outros é que são muito limitados. Não gosto de menosprezar ninguém, mas quando temos que explicar meia dúzia de vezes a mesma coisa e mesmo assim não me parece que tenha percebido...quase que é preciso um desenho.

Help me! Estou a ficar sem paciência. 

Bem vou respirar fundo, contar até dez e tentar mais uma vez.

Até estacionar se tornou complicado....

Estava habituada a estacionar o carro em qualquer sitio. O primeiro lugar que via era meu, até porque tinha um Toyota Aygo que praticamente cabe em qualquer lado. Recordo-me de refilar quando via carros mal estacionados, ficava fula quando via um veiculo a ocupar dois lugares, as pessoas não tem civismo nenhum ( pensava eu). Isto tudo AG ( antes dos gémeos).

Nunca em toda a minha vida pensei que se tornaria tão difícil estacionar um carro. Passo a explicar.

Passei a conduzir um monovolume que devido ao tamanho não cabe em qualquer sitio. Para além disso tenho que colocar e tirar 4 crianças do carro o que por vezes se torna muito complicado. Se estaciono num estacionamento perpendicular torna-se muito difícil abrir as portas para retirar os ovos dos bebes, a solução é estacionar mais chegado a um lado de forma a conseguir abrir pelo menos uma das portas. Claro que esta não é a solução ideal porque apertar e desapertar o cinto de segurança da cadeirinha torna-se muito difícil quando estamos do lado contrário do veiculo. Para além disso implica tirar os outros meninos do carro para poder entrar e desapertar o cinto. Corremos também o risco, como já me aconteceu, de ao chegar ao carro os veículos vizinhos não serem os mesmos e estarmos apertados de ambos os lados.  Certos sítios tem lugares para famílias com bebes mas os lugares são minúsculos, pelo que já desisti de lá estacionar. A solução encontrada foi começar a parar o veiculo mais longe e de preferência encostado a um pilar ou corredor de passagem de carros, assim pelo menos temos uma lateral sempre desobstruída. Outra solução é ocupar dois lugares, assim podemos abrir as portas livremente. Eu falava dos outros e agora faço o mesmo. A vida dá muitas voltas.

No entanto nenhuma destas soluções é perfeita porque também tenho que conseguir abrir a bagageira para colocar o Leonardo no carro e o carrinho. Ainda no outro dia fui ao posto médico e estacionei paralelamente, estava toda contente porque conseguia abrir as portas de ambos os lados. Quando sai da consulta tinha um carro de tal forma encostado à minha traseira que nem a conseguia abrir. Tive que colocar os gémeos e o Gui no carro e fazer manobra para ajudar o Leonardo a entrar e conseguir colocar o carrinho.

Alguma vez pensaram que seria tão complicado?

O marido insiste para eu deixar a zafira que de facto tem as portas muito grandes e andar com  a mazda5. De facto a situação das portas ficava resolvida com esta mudança pois como a 5 tem portas de correr nunca ficava condicionada. Mas existem algumas desvantagens que para mim contam muito. Primeiro o banco do meio da 5 é muito pequeno e o Guilherme fica muito apertado entre as cadeiras dos irmãos, fico com pena do menino. Para além disso a 5 gasta bem mais combustível que a zafira, com estas crianças todas todos os cêntimos contam.

Enfim não existe uma solução perfeita, temos que nos aguentar.

Mas agora já sabem, se forem como eu que reclamava dos carros mal estacionados, às vezes existe uma explicação para o facto. Se for uma safira provavelmente sou eu!

Primeiro dia de praia

Ontem, como os meninos já estavam melhores, resolvemos leva-los pela primeira vez à praia. Divertimos-nos imenso com as caretas e sorrisos deles perante tanta coisa nova.

Mais uma vez, verificamos o quão diferentes são um do outro. Como é que é possível serem gémeos mas um ser igual ao mais Guilherme e outro ser igual ao Leonardo? Não acreditam?

O Salvador tem a cara igual ao Guilherme (em bebé), tem o feitio mais similar ao do irmão mais velho. Não sorri para todas as pessoas, só para quem lhe interessa. Tem as meias sempre encharcadas de suor e os dedinhos ficam todos cortados, o irmão era igual. Até na praia me lembrou o irmão, assim que o pusemos na areia desatou a chorar, na agua então nem se fala. Assim que o começava a baixar começava logo a chorar e agarrava-se a mim para não tocar no chão, até quando o pousava na toalha ficava a chorar até se aperceber que não estava a tocar em nada estranho. Resumindo passou a manhã na toalha ou então ao colo.

O Santiago é mais parecido com o Leonardo. É um bebe mais chorão tal como foi o irmão. Já tem algum mau feitio tal como o irmão. Quando as coisas não lhe correr como quer faz uma fita...No outro dia a minha mãe estava a arrelia-lo, ele estava cada vez mais danado até que se agarrou a ela e até parecia que a queria morder. Tem dermatite atópica tal como o Leonardo, agora com o calor é vê-lo com milhares de borbulhinhas pelo corpo todo. Na praia gostou de tudo, adorou brincar na areia e nem se importou quando o colocamos na agua. Lembrou-me mais uma vez o irmão que quando foi à praia com 7 meses só sabia gatinhar para o mar. Eu punha-o na toalha e passado uma minutos já estava a beira mar, as pessoas riam-se e diziam que parecia uma tartaruga a dirigir-se para o mar.

É tão divertido ver estas diferenças todas, para mim são tão diferentes que não consigo perceber como é que as pessoas não os conseguem distinguir.

2015-05-18 12.59.17.jpg

O meu Guilherme a dar pão ao Salvador. 

 

20150517_091642.jpg

O Santiago todo divertido a brincar com a areia.

2015-05-18 06.52.54.png

O Santiago resolveu dar um mergulho na areia.

2015-05-18 12.58.41.jpg

 

O Salvador não saiu da toalha.

2015-05-18 12.59.52.jpg

 O Santiago todo satisfeito dentro de agua.

Sabado em familia

 

O nosso dia começa assim.

 

2015-05-19 11.53.21.jpg

 

 

 

Não percebo quem é que gosta mais dos brinquedos de bebes?

Depois há tarde um passeio no carrinho novo, até ao parque. Os gémeos gostaram muito.

2015-05-19 11.53.50.jpg

 

 

2015-05-16 18.13.31.jpg

 

Virose?

Em casa com os doentes. Agora o Santiago também está com febre de 4 em 4 horas. Ontem fui duas vezes, com o Salvador, ao médico e não encontraram motivos para estas febres altas e persistentes. Hoje estão os dois, se bem que o Santiago está bastante calmo, comparado como Salvador. Beberam pouco leite de manhã e o almoço então foi para esquecer. O que valegémeos é que a fome volta quando ficaram bons. Agora temos que ter pacientes e esperar que isto passe, até agora não têm mais nenhum sintoma. Provavelmente será uma virose.

Basta 1 piscar de olhos

Ontem tive consulta de alegologista, esta maldita alergia não me larga. Ando com uma dor de garganta à mais de quinze dias sempre à espera que passe. A médica disse-me que já não ia lá só assim, receitou-me antibiótico e quase a farmácia inteira de anti-histamínicos. Como estava a tomar o aerius não pude concluir com os testes das alergias, já fiz duas vezes aquelas picagem nos braços mas ainda preciso de fazer mais. A doutora olhou para os gémeos e disse-me logo que eles tinham uma pele muito alérgica. Receitou-me uns cremes e disse-me que da próxima vez ( Dezembro) me quer ver a mim e às quatro crianças. Coitada nem sabe no que se meteu...provavelmente vai sair de lá louca depois deles lhe destruírem o consultório.

Depois da consulta fui trabalhar, de seguida apanhei os meninos e passei na farmácia. Comprei os meus medicamentos, vi os preços dos cremes para os gémeos ( ia caindo para o lado, ainda são mais caros que os que usei para o Leonardo) e pesei os gémeos. O Santiago tem 8,980Kg e o salvador 8,800Kg, parece-me que estão muito bem para 10 meses de idade e ainda por cima prematuros.

Em casa quando fui tirar o Salvador do ovo, o sacaninha vincou os pés esticou-se e vincou a cabeça na pega do ovo. Como se não basta-se ao sentir que se estava a aleijar fugiu com a cabeça mas sem desviar, sempre a raspar na pega. Foi uma questão de 1 segundo e eu nem tive reacção, ficou com um vinco desde a testa até à parte posterior da cabeça. Fartou-se de chorar e eu fiquei logo aflita. Passado um pouco lá se calou e ficou mais calmo. Por volta das 20H começou a ficar sonolento e muito quente. Fomos ver e estava com febre ( 38,5), ligamos para a saúde 24  fomos atendidos por uma enfermeira muito simpática e prestável. Aconselharam-nos a dar-lhe ben-u-ron e vigiar durante a noite, acorda-lo de duas em duas horas a ver se ele estava bem. Indicaram-nos que caso vomita-se ou se a febre continua-se deveríamos ir à urgência com ele.

Ligaram-nos de volta cerca das 22:30 a saber do menino que na altura estava a dormir e ficaram de ligar hoje à noite para saber a evolução.

À meia noite estava outra vez cheio de febre (39,4) dei-lhe brufen e deitei-me no sofá com ele em cima de mim. Acho que não dormi nada de noite estava sempre a ouvi-lo respirar. Às 4:30H da madrugada já estava com 38,6, vesti-me e fui com ele para a urgência. Os médicos desvalorizaram o vinco na cabeça ( ufa ainda bem) e disseram-me que a febre ter começado depois foi uma coincidência. Não encontraram nada no menino mas tem que ser vigiado. Devemos voltar à urgência se: tiver vómitos, deixar de comer, ficar muito prostrado, caso apresente mais sintomas ou se o intervalo sem febre diminua. Se os sintomas se mantiverem iguais devemos voltar quinta à noite ou sexta de manhã porque faz 48H com febres altas. Já liguei à mãe e continua muito queixoso.

Como é possível que uma hora esteja bem e na outra esteja doente. Ainda bem que não teve nada a ver com a cabeça mas só serve para aprendermos que não podemos baixar a guarda com estes meninos. Basta piscar os olhos e já aconteceu asneira.