Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

Em busca dos objectos perdidos...

Por vezes,Muitas vezes cá em casa dão-se uns fenómenos estranhos e desaparecem coisas.

Mãe não encontro o comando da televisão do nosso quarto! E lá vamos nós em busca do comendo perdido e deixem que vos diga que nem sempre é tarefa fácil. Por norma  costuma estar dentro de uma das cama, dentro da fronha da almofada, debaixo da cama, entalado entre o colchão e a trave da cama. Mas já aconteceu ficarem sem ele durante uma semana para depois o encontrarmos num sitio muito obvio e no qual temos a certeza de termos procurado.

Mãe não encontro o meu lápis! Esta é uma das frases mais usadas nesta casa, a outra envolve a borracha. Por vezes fico a pensar se o meu Guilherme come este tipo de materiais. Dou-lhe um lápis e no dia a seguir não sabe dele. Guilherme que lápis é esse? Foi a professora que mo deu não sabia do meu. Mas ainda ontem te dei um lápis... Ao todo durante o anos escolar deve ter perdido uns 50 e um igual numero de borrachas.

Mãe onde está o meu fafo? Nada mais difícil que procurar uma coisa que não sabemos o que é. Sim o Leonardo tem por hábito baptizar os bonecos com nomes estranhos e depois quando se perdem é uma chatice. Eu procuro e encontro um dos bonecos perdido. Chamo-o toda contente para lhe entregar o brinquedo, ele chega e diz-me: Mãe esse é o meu filho não é o fafo.

Agora, para ajudar, ainda mais temos as chuchas dos gémeos que tendem a desaparecer. Deitamos o miúdo na cama e quando chora a meio da noite não há forma de encontrarmos a chucha. Desistimos e vamos buscar outra. No dia seguinte voltamos em busca da chucha perdida, depois de quase termos desmanchado a cama questionamos-nos se ele a terá engolido. Só pode a casa não tem buracos. Ainda ontem fiquei toda contente porque descobri uma chucha que esteve para ai um mês desaparecida. Segundos depois o marido pergunta-me pela chucha do Santiago, respondo que já vou à procura. Lá andei eu de gatas a espreitar de baixo de todos os móveis, revirei todos os brinquedos, procurei debaixo de todas as almofadas do sofá, até no lixo fui espreitar e nada de chucha.

Deixem lá mais dia menos dia ela regressa a casa.

Á uns anos desapareceu um pijama do Guilherme andamos meses à procura. Eu revirei a minha casa, a minha mãe revirou a dela e nada de pijama. Uns bons meses depois descobrimos, o tão famoso pijama enfiado num dos buracos que o carro do meu pai tem para guardar os bancos.

Sempre ouvi dizer que um bom filho retorna sempre a casa.

 

2 comentários

Comentar post