Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quatro Reizinhos

Uma mãe obsessiva, um pai muito stressado e 4 filhotes. O mais velho hiperativo, o segundo com um feitio muito particular e dois bebes gemeos. Tanta cabeça debaixo do mesmo tecto não pode dar coisa boa.

O meu Leonardo sonha alto!

No fim de semana falavamos sobre as férias. Debatiamos as dificuldades de fazer uma viagem de sete horas com tanta criança no carro e o Leonardo pergunta:

- Vamos para Espanha?

- Ainda não sabemos Leonardo. Porquê?

- Eu gostava mais de ir a outro lado.

- Gostavas? Onde é que tu queres ir?

- Eu gostava de ir ao Dubai!

- Ao Dubai?

-Sim. Gostava de ver o Burj Dubai que é o edificio mais alto do mundo.

- Leonardo o Dubai é muito caro e não temos dinheiro para isso.

- Então podiamos ir a um dos meus outros sitios preferidos.

- E que sitios são esses?

- Gizé, gostava de ver as pirâmides. Ou então Nova Iorque e temos que ver o empire state building.

 

 

Resultado de imagem para imagem boquiaberto

 

Mãe a panicar

O tempo aqueceu e o Leonardo começou a queixar-se de comichão no corpo. Em qualquer outra altura da vida eu nem teria reflectido duas vezes sobre o assunto. Já lido com a erupção cutânea que ele ganha devido ao suor à oito anos pelo que costumo desvalorizar a situação. Por norma reforçamos os banhos tépidos, a hidratação e o assunto fica resolvido.

Quis o destino que esta ultima erupção coincidisse com um recado na caderneta. Recado este que menciona um caso de sarna confirmado na escola. Bastou um simples recado para levantar uma pequena duvida em mim. Tenho estado a panicar com a duvida se é alergia ao suor ou outra coisa. Acho que já vi todos os sites sobre sarna, vi todas as fotos e ainda não consegui sossegar esta minha cabeça. Tudo o que vi e a minha experiência diz-me que não é nada mas depois fica a voz da dúvida a fazer eco na minha cabeça.

 

Foi tão fácil que até dói...

No fim de semana passado resolvemos que estava a altura de os gémeos passarem a adormece sem mim. Conversamos com eles sobre o assunto e na hora de deitar a coisa correu surpreendentemente bem. A noites seguintes correram um pouco pior mas nada demais. No geral limitaram-se a choramingar um pouco. Do nosso quarto fomos falando com eles, tranquilizando-os até acabarem por se calar e adormecer.

A coisa correu bem. Na verdade correu bem demais e seria de esperar que isso fosse um alivio para mim. A verdade verdadinha é que esta facilidade mexeu comigo. Estava habituada a adormecer com eles nos meus braços. Todas as noites íamos para a cama e tínhamos um momento só nosso. Um momento em que eu era mimada com beijinhos e abraços. Um momento em que me pediam para inventar histórias. Pediam-me para contar uma história com uma princesa e um avião, eu inventava a história da princesa que tinha medo de voar. Pediam-me uma história com o faisca mcqueen e um dinossauro, eu inventava uma história em que o faisca ia conhecer os personagens do Toys story.

Depois da correria diária sabia tão bem estes pequenos momentos de cumplicidade e felicidade. Impressionou-me a rapidez com que deixaram de precisar da minha companhia. Sei que deveria estar contente mas a verdade é que ainda não cheguei a esse ponto. Tenho que me habituar à ideia que os meus pequenos já não são pequenos e que tenho que lhes dar espaço para crescer. Adoro vê-los crescer mas sinto que à medida em que o fazem me vão fugindo por entre os dedos.

Frieiras

Pensava que me tinha livrado delas de vez. Faz uns anos que não me apareciam e eu andava contente. Veio este inverno e está frio, muito frio. As sacanas voltaram em força e eu começo a desesperar. Os dedos incham e a mobilidade diminui. À noite tenho uma comichão intensa. 

Passo o dia a colocar cremes e nada parece resultar. Uma colega disse-me que para as curar bastava que um dos pequenos me fizesse xixi para as mãos e dormir sem lavar as mãos com uma luvas colocadas.

Estou um pouco renitente em experimentar mas se alguém tiver uns concelhos mais higiénicos por favor digam. Quero mesmo livrar-me delas.